Usuário
Password
Esqueceu sua senha?

Malbec, nossa variedade emblemática

MALBEC

A Malbec é a cepa insigne da Argentina, país que possui a maior superfície cultivada com Malbec no mundo. É uma cepa originária do Sudoeste francês, onde é chamada Côt, de estilo tânico e duro. Pela intensa cor e seus matizes escuros, os vinhos obtidos com esta variedade eram chamados “vinhos negros de Cahors”. Estes vinhos se consolidaram na Idade Média e acabaram de se fortalecer na modernidade.

A conquista do mercado inglês foi um passo decisivo na valoração desta cepa na Inglaterra e no mundo.

Em 1852 esta variedade é trazida para a Argentina por Michel A. Pouget, Engenheiro Agrônomo francês contratado pelo governo nacional deste país.

Em 1863, a praga de filoxera destruiu a viticultura francesa e a “Cot” caiu no esquecimento deixando no entanto uma cultura de apreciação da Malbec já construída.

A Malbec em particular se adapta rapidamente aos diversos terroirs que a geografia do país oferece e começa a produzir vinhos inclusive melhores do que os da sua terra de origem.

A Argentina se transforma no único país onde se encontram cepas originais de Malbec autenticamente provenientes da França.

Descarregue História da Malbec por Pablo Lacoste Dr. em História.

"Good Argentine Malbec, and there is a great deal of it for Argentina is one of the world's most prolific wine producers, is deeply coloured, spicily rich with an exuberant juiciness and has as a trademark an almost velvety texture".
Jancis Robinson

Malbec na Argentina

Atualmente, a Argentina é o principal produtor de Malbec do mundo, com 39.486,43 has plantados ao longo de todo o país, seguido pela França, Itália, Espanha, África do Sul, Nova Zelândia e USA.

Os vinhateiros argentinos cultivaram a Malbec extensamente em todas as regiões vinícolas argentinas. Atualmente pode-se encontrar Malbecs opulentas e vigorosas ao longo da Cordilheira de Los Andes (desde Salta até a Patagônia).

Mendoza é a principal região vitivinícola argentina. Nela se concentram 86% dos cultivos de Malbec, com 34.095,40 has. Seguem San Juan, com 2.087,20 has;  Salta, com 1.130,31 has; Patagônia (Neuquén e Rio Negro), com 994,31 has; e La Rioja, com 710,50 has.

Na Argentina temos DOC (Denominação de Origem Controlada) para a Malbec em algumas regiões. Esta denominação protege o nome da zona e obriga os produtores a manterem um alto nível de qualidade nos vinhos.

Malbec Luján de Cuyo é a primeira Denominação de Origem (DOC) da América. O Malbec desta sub-região apresenta uma cor muito intensa e escura de tipo vermelho cereja que pode chegar a parecer quase preto. Em Luján de Cuyo encontramos um vinho de expressão mineral, fazendo-se notar particularmente a fruta negra e as especiarias doces, ao passo que em Tupungato, Tunuyán e San Carlos (Valle de Uco), a expressão do Malbec é mais elegante, mostrando notas especiadas e florais bem marcadas.

Na Patagônia (Neuquén e Rio Negro) encontramos um clima levemente mais frio e altitudes menos extremas, o que faz que o grão retenha acidez, e sejam produzidas no vinho notas de frutas pretas maduras em combinação com um marcado acento mineral.

O norte argentino (Salta e Catamarca) é amigo do sol e das alturas. Como todo produto desta região sua expressão e personalidade são únicas. Aromas de fruta vermelha e preta bem madura, pimenta preta, pimentão e uma estrutura muito sólida com taninos firmes e doces.

A Malbec se expressa muito bem em regiões de elevada amplitude térmica e solos calcários, argilosos e/ou arenosos, como os que se encontram aos pés da Cordilheira de Los Andes. Estas características geográficas e climáticas fazem que o Malbec produzido na Argentina se destaque primordialmente pela qualidade de seus taninos: doces, sedosos e envolventes.

"Malbec is now a seriously thrilling rising star in the red wine firmament".

Oz Clarke

O que buscar no Malbec

A característica mais destacada do Malbec é a sua cor, escuro intenso. Os aromas do Malbec nos lembram cerejas, morangos ou ameixas, uvas passas e pimenta preta, em alguns casos com reminiscências de frutas cozidas (marmelada, por exemplo), isto  dependendo de quando tenha sido feita a colheita. Na boca, o Malbec é cálido, suave e doce, com taninos que não são agressivos. Quando afinado em madeira, adquire notas de café, baunilha e chocolate.

Quando desarrolhar um Malbec

Geralmente, o Malbec é uma variedade que se distingue por oferecer uma explosão de fruta. Esta característica pode outorgar grande complexidade quando o vinho se afina em carvalho novo. Recomenda-se consumir rapidamente os Malbec jovens sem afinamento em madeira; aqueles que foram criados em madeira durante alguns meses podem ser conservados durante 2-3 anos; e os “grandes” Malbec podem evolucionar favoravelmente na garrafa durante uma década.

Harmonização com Malbec

O Malbec acompanha muito bem carnes vermelhas, carnes na grelha, queijos duros e massas com molhos de tomate.

O Malbec tem seu dia

17 de abril de 1853, ano em que a Malbec chega ao nosso país, com o apoio do governador de Mendoza, Pedro Pascual Segura, apresentou-se um projeto diante da Legislatura Provincial, visando fundar uma Quinta Normal e uma Escola de Agricultura. Este projeto foi aprovado com força de lei pela Câmara de Representantes em 6 de setembro do mesmo ano.

A gestão de Pouget e Sarmiento na Quinta Normal de Mendoza foi parte decisiva deste processo. O dia 17 de abril é a data escolhida por Wines of Argentina para celebrar o Malbec World Day, não só porque a criação da Quinta Normal é símbolo da transformação da Vitivinicultura Argentina, mas porque foi o ponto de partida para o desenvolvimento desta cepa, emblema de nosso país no mundo.

 
 

"When consumers think of Malbec, only one country comes to mind: Argentina".

Eric Asimov